segunda-feira, 1 de junho de 2009

Adoro poesias

Às vezes me dá uma vontade de sair rabiscando coisas! Não! Não sou uma "pixadora", falo de desenhos e poesias em papel mesmo!
Quando era adolescente (eita memória boa!) gostava de escrever nas últimas folhas do caderno, gostava também de desenhar, cheguei até a ganhar concurso na escola de desenho! Mas isso são águas passadas. Agora com a Internet ao alcance de todos (ou quase) tenho a oportunidade de pesquisar e de receber lindos poemas de amigos e como estou sem inspiração (isso é coisa de artista!) resolvi colocar aqui um texto muito bonito que recebi! Não sei quem assina. Se alguém souber me mande para fazer a devida homenagem. Leiam, que lindo!

Eu já

Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, a ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, a ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, a ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, eu já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, a ponto de confundir com a realidade.
Já tive medo do escuro, hoje no escuro me acho, me agacho, fico ali.
Já caí inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.
Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.
Já chamei pessoas próximas de amigo e descobri que algumas pessoas eu nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.

3 comentários:

Rosana Albuquerque disse...

Olá!!!Bela amiga poetisa........
Eu não te aguento...vc só me faz rir......kkkkkkk.
Ôooooo cozinheira boa.Belo texto....
Beijos...
Fica com Deus...
Te amodoro!!!

Ricardo disse...

Poema lindo, um pouco grande mas lindo mesmo. Acho que és multi virtuosa. jinhos doces :) xx

Ricardo disse...

Vejo pela poesia seres uma pessoa que vives a vida a fundo e que gostas de experienciar tudo um pouco em balanço, e que sabes quem és assim como sabes o que queres, apesar de as vezes não te aperceberes disso, mas mais tarde realizas que o sabias a toda a hora, tu és tu mais ninguém te entendera melhor que tu te entendes.brigado por partilhares aspectos da tua vida por poesia connosco, jinhos xxx