domingo, 17 de maio de 2009

“Pra que mentir, fingir que perdoou..."

"Eu pensei em chegar no salto agulha, queixo erguido, me fazendo de bonita.
Olhando de cima, sem culpa, e com toda a pose que uma vítima pode ter.
Vítima, não. Olharia como acusadora.
Pois é, mas resolvi não olhar mais.
Resolvi mudar de calçada. De uma calçada que gosto até.
Não é por sua causa. É por minha. É pra manter a lealdade comigo.
Eu não tenho que estar sempre no salto. Não estou, oras.
E só meus pés sabem os calos que lhe custam andar somente com a ponta do pé.
Eu não tenho que ser sempre madura e bem resolvida.
Eu também não sou perfeita, perdoe-me.
Então, se o teatro nada resolve na minha vida (e não resolve na de ninguém), eu vou dar um tempo.
Não um tempo pra você. Um tempo pra mim.
Para que eu possa descansar os meus pés.”



Texto enviado por uma amiga; Quem nunca se sentiu assim pelo menos uma vez na vida?
Pois é assim que me sinto agora!
Beijos.

2 comentários:

marcialima disse...

Antigamente davámos ferias para os pés,com RAYDER,hoje...muito mal temos havaianas.Só podemos dar um descanso para eles! Os tempos mudaram. Ficaram mais faceis,porém mais dificeis!

Carminha disse...

Obrigada pelo comentário!
Bjs.