sexta-feira, 15 de maio de 2009

Só as mulheres para entenderem o significado deste poema!

Qual mulher nunca teve:
Um sutiã meio furado,
Um primo meio tarado,
Ou um amigo meio viado?

Qual mulher nunca tomou:
Um fora de querer sumir,
Um porre de cair
Ou um lexotan para dormir?

Qual mulher nunca sonhou:
Com a sogra morta, estendida,
Em ser muito feliz na vida
Ou com uma lipo na barriga?

Qual mulher nunca pensou:
Em dar fim numa panela,
Jogar os filhos pela janela
Ou que a culpa era toda dela?

Qual mulher nunca penou:
Para ter a perna depilada,
Para aturar uma empregada
Ou para trabalhar menstruada?

Qual mulher nunca comeu:
Uma caixa de Bis, por ansiedade,
Uma alface, no almoço, por vaidade,
Ou, um canalha por saudade?

Qual mulher nunca apertou:
O pé no sapato para caber,
A barriga para emagrecer
Ou um ursinho para não enlouquecer?

Qual mulher nunca jurou
Que não estava ao telefone,
Que não pensa em silicone
Que 'dele' não lembra nem o nome?

Um comentário:

Rosana Albuquerque disse...

Olá!!!Carminha...
Tá sumida...Algumas coisas deste poema até já fiz...mais outras,graças à Deus não..rsrsrsrs